Cabana Burger, no Jardim Paulista

Acabou o ano! Já reparou nisso? Parece que foi ontem, mas os doze meses de 2017 ficaram para trás, e agora é começar a programar a agenda para o próximo ano. Sem dúvida devemos ter muitas coisas boas em 2018, mas vale também celebrar os bons momentos deste ano. Foram grandes descobertas e achados imperdíveis, além de encontrar bons sabores espalhados por toda São Paulo.

Pra encerrar com grande estilo, deixamos a famosinha Cabana Burger como última crítica de 2017. Aberta no ano passado, ela vem vivendo do bom momento e já expandiu sua operação para uma filial no Itaim Bibi, além de planejar tantas outras – uma até no Rio de Janeiro. Fomos visitar a casa original, na Oscar Freire, pra experimentar o melhor do cardápio, e nas próximas linhas você pode conferir com todos os detalhes.

Antes disso, vale também desejar um feliz fim de ano pra você e todo mundo que acompanha o Comida pra Casal. Vamos tirar também aqueles dias pra dar uma descansada, e em janeiro estamos de volta para muito mais, com várias novidades planejadas!

chapeu-galeria

Enquanto a Shake Shack não vem para o Brasil, o Cabana optou por ser uma boa inspiração na casa americana. Assim como grande parte das novas hamburguerias é levados em consideração o bom e barato. Faz algum tempo que estamos planejando a visita, mas não havíamos conseguido porque a lanchonete vive lota e como vocês já sabem não gostamos muito de filas.

Nós procuramos ir em um horário alternativo, que foi no domingo às 16h, assim que chegamos a atendente dos disse que estavam preparando a nossa mesa e então ficamos esperando na calçada, a espera foi de uns 15 minutos mesmo não tendo muita fila. O salão é bem amplo e tem uma decoração super descolada, é bem bacana o espaço e super aconchegante.

Para mim o maior problema foi o atendimento, a partir do momento que sentamos na mesa, até conseguirmos fazer o pedido foram mais de 15 minutos de pessoas que passam por nós e simplesmente nos ignoravam. Em um certo momento os garçons estavam até conversando entre si e ignorando as muitas pessoas que estavam tentando fazer o pedido ou até mesmo pedir a conta, além disso a casa cobra 13% de gorjeta, o mínimo que queríamos era fazer os pedidos tranquilamente.

Assumo que o atendimento me deixou um pouco irritada com a situação e mal consegui olhar direito o cardápio. Como entrada pedimos a bacon cheese fries e uma onion rigns, os preços era 17 e 9, respectivamente e achei eles bem justos na verdade. A porção é feita para duas pessoas perfeitamente, a batata é gostosa e macia, mas o queijo derretido e o bacon crocante são MUITO bons, eu facilmente comeria uma dela inteira e sozinha. A onion já é um pouco sem graça, ela é muito final e por isso falta o sabor da cebola, mas pelo preço é uma boa entrada.

Já na escolha do lanche optei pelo Oklahoma Burguer e duplo ainda, que sai por R$29, o lanche é feito com carne, queijo, onion rigns, molho cabana e pão da casa. A carne é boa e tem sabor, erraram um pouco no meu ponto mas estava bem saborosa. O pão é ponto alto da casa por ser fabricação própria dá um sabor a mais no lanche. A onion combina bem, mas o molho cabana fica um pouco sumido mesmo sendo levemente apimentado.

A casa é um ótimo lugar para visitar com amigos ou até mesmo em casa, os ingredientes são todos de primeira e os lanches tem um ótimo custo-benefício, com certeza um lugar que eu indicaria. Agora não sei se tivemos azar ou se o atendimento costuma ser assim sempre, mas foi algo que nos incomodou e nos deixou chateado.

Se precisasse definir o Cabana Burger em uma palavra apenas, provavelmente seria estilo. É inegável entrar por seu salão e não sentir a aura descolada do lugar, com sua decoração de madeira e muito verde, criando um ambiente que faz esquecer por alguns minutos que estamos na selva de pedra chamada São Paulo.

Ainda que tenha uma personalidade própria, fica evidente a franca inspiração no Shake Shack – uma rede americana de burguers que faz bastante sucesso, com louvor, por aquelas bandas. Isso não é um problema, longe disso, embora nem tudo sejam flores, e em alguns pontos a casa dá uma patinada.

Alguns, no plural, talvez seja forçar um pouco a barra, mas um ponto em especial merece bastante atenção: o atendimento. Formado basicamente por gente super descolada, mais parece um grande grupo de amigos que está ali pra conversar e curtir a vida, não necessariamente para fazer o jogo fluir, e até agilizar o processo que levaria a uma diminuição na fila por uma mesa.

Sem entrar em muitos detalhes, o atendimento não foi bom. Seja pela demora – relativamente longa – até alguém perceber que estávamos ali esperando pra comer, pela displicência durante o contato, ou até mesmo na entrega dos pedidos. São coisas chatas que poderiam ser facilmente resolvidas, e tornariam a experiência melhor durante a visita.

Até por que, convenhamos, a comida não é ruim. Os preços não são altos. E o cardápio é bem democrático. Uma pena que no detalhe do detalhe, a lanchonete perde uma estrelinha na sua hipotética nota.

A comida, como disse, não é ruim. Pedimos duas porções de entrada – que chegaram, aliás, depois dos lanches – uma de Onion Rings (R$ 9) e outra de Bacon Cheese Fries (R$ 17). A segunda é bem gostosa, mas pode te deixar um pouco enjoada pela quantidade de queijo, ou pela combinação de pedidos – foi o meu caso, vou explicar mais logo mais.

Pensa em uma porção de fritas com bastante queijo e bastante bacon. É uma delícia, com a cremosidade do primeiro e o salgadinho do segundo. Por outro lado, pensa em um lanche feito com carne, queijo derretido e bacon. Ruim? De maneira alguma, mas é mais do mesmo. Então, tenta evitar a combinação, o cardápio te permite isso.

Qual foi o meu lanche? O mais famoso da casa, o Melted (R$ 33), feito com um disco de 160 gramas com carne wagyu, cheddar derretido e bacon salpicado em um pão brioche. Nem preciso falar muito, basta olhar a foto. Ela transpira sabor. E transpira também a certeza de que você vai sujar as mãos comendo isso.

E não tem problema! Até a última mordida você vai sentir o gosto do blend de carnes, que traz um sabor único, especialmente se pedir ao ponto ou mal passado. A carne tem um gosto pouco diferente dos discos usados normalmente, mas você precisa focar pra sentir o sabor. O queijo toma conta de quase tudo, tanto que mesmo depois de acabar o lanche, você certamente vai ter um pouco de queijo pra comer com as fritas – desde que elas não sejam com queijo e bacon.


Cabana Burger – Rua Oscar Freire, 56 – Jardim Paulista; Abre: todo dia; Contato: 2638-2378; Transporte: ônibus, táxi; Pagamento: débito, crédito, vr; Faixa de preços: $.
Anúncios

2 comentários sobre “Cabana Burger, no Jardim Paulista

  1. Vai no cabana do itaim no almoço, a Flávia coordenadora é ótima, o atendimento sensacional, todos muito focados e atenciosos, pede pra ser atendido pelo Kayque ou João, eu era cliente na Oscar Freire e depois que fui no Itaim, nunca mais volto na Oscar Freire, ah e no Itaim tem bem menos fila, pq os garçons agilizam o serviço. Fika a dica aí abraços

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s