Torero Valese, no Itaim Bibi

E estamos aqui, em mais um Dia dos Namorados. Muita gente considera essa apenas uma data comercial, e sejamos honestos, não é totalmente errado. Mas por outro lado, pode ser também uma ótima opção de sair pra jantar com quem você ama. Ou quem você gosta muito, pelo menos. Depois de sugerir um japonês e um francês, achamos que seria uma ótima alternativa conhecer de perto um restaurante espanhol. Por qual razão? A culinária espanhola é conhecida por partilhar seus pratos, suas entradas, suas porções. Quer momento melhor que partilhar sua comida se não na celebração do amor? Então continua lendo pra conhecer mais sobre o que o Torero Valese pode te oferecer. E quem sabe pode ser o lugar ideal pra domingo.

chapeu-galeria

Parece que foi ontem, mas um ano passou, e o Dia dos Namorados voltou. Escolher a sugestão desse ano não demorou muito, e acabamos optando por um espanhol. Por qual motivo, você se pergunta. A cozinha espanhola tem umas tradições interessantes, entre elas o ato de comer compartilhado, sempre com porções para mais de uma pessoa, diferente do Brasil. Já tínhamos passado pela experiência em outros restaurantes da mesma nacionalidade, então pareceu algo interessante.

Quem achou o Torero Valese foi a Na, e topei a aventura. Localizado no Itaim Bibi, é daqueles lugares que você precisa ir de carro. Ou de Uber, tão na moda. Fomos na segunda opção, no último sábado, pra encontrar um restaurante agradável e com bom atendimento.

Todos os garçons foram bastante solícitos durante toda nossa visita, até com um causo engraçado. Não sei dizer o nome do senhor que nos atendeu, mas ao pedir por mais uma sugestão do cardápio (após ter escolhido algumas opções) ele foi direto e disse que não tinha que pedir mais nada, pois era o suficiente para o casal. Honesto demais? Falta de tino comercial? Prefiro acreditar na primeira opção.

Sobre o restaurante, vale dizer que ele é frequentado bastante por casais e grupos de amigos. Quase todos com mais de 30 anos. Ou seja, se você procura por alguma coisa mais agitada e jovem, essa não é a sua pedida. Mas, por outro lado, se procura um momento intimista com a pessoa amada, a luz baixa e a decoração com adornos espanhóis é realmente uma boa pedida.

A comida é cara? Um pouco. Restaurantes espanhóis tendem a isso. Mas sabendo escolher bem não vai matar ninguém. Até pelo motivo de você estar acompanhado e poder dividir a conta (sim, nós dividimos a conta, sempre). A nossa saiu por volta de R$ 200. Novamente, um valor mais salgado que o normal, especialmente se você acompanha com regularidade o blog. Mas como procuramos algo especial, pra sair do comum, a data pareceu valer a pena.

E como a conta saiu tudo isso? Comendo. Pedimos logo de cara uma porção de Pintxos (R$ 48,90), onde poderíamos escolher três sabores diferentes. O Tomate com Jamón Serrano, por ser óbvio, foi a primeira. E da mesma maneira, teve o sabor mais óbvio. Bem recheado, tem bastante presunto, que cobre quase que todo o pão.

Já o de Rosbife de Filet com Queijo Cremoso e Caviar traz uma combinação não muito usual para alguns paladares. Afinal, estamos combinando carne bovina com peixe. O resultado acaba sendo diferente, e as ovas de peixe se sobressaem com facilidade. A terceira via do prato foi o de Brie Gratinado com Tomate Catalão e Berinjela Empanada. E que coisa deliciosa. Nessa receita o pão não existe, e é substituído por uma ótima e bem servida berinjela empanada. Sobre ela os outros ingredientes, que conseguem se complementar e entregar, com facilidade, o melhor dos três.

Acabou por ai? Nem de perto. Pedimos também um tal de Haromaki de Morcilla (R$ 27,90). O que seria? Sim, estamos falando do bom e velho rolinho primavera fatiado e com o recheio do embutido. Um pequeno detalhe, e que trouxe a alegria pra mesa foi a discreta lâmina de limão siciliano, que quebrou totalmente o forte sabor do chouriço. Pode parecer estranho pra quem não conhecer, mas outro ótimo prato da casa, e da culinária espanhola (ou seria nipo-espanhola?).

A terceira pedida talvez tenha sido a decepção da noite. Para o infortúnio da Na. As Croquetas de Jamón (R$ 10,90 cada) ficaram devendo, exatamente, jamón. Preparada com queijo ementhal, ela entrega menos que o esperado, seja no tamanho ou no valor. O ingrediente que deveria ser o coadjuvante acada dominando o prato, não dando chance para o pouco presunto da receita. E pra piorar, o salgado preço também não ajuda. Se tivesse que escolher, esse seria aquele que não recomendaria.

Melhor sorte teve a Chistorra (R$ 34,90), servida em uma pequena caçarola junto de uma porção de pães frescos. Uma linguiça típica do norte da Espanha, no Torero Valese ela é acompanhada por azeite, cebola, tomate e batatas, composição que serve como alternativa ótima pra abrir o apetite. A linguiça é gostosa e tem um sabor forte, diferente de muitas encontradas no  supermercado. Acompanhada da tradicional cerveja brasileira seria ainda melhor, mas como não era o caso, melhor seguir para a sobremesa.

Churros. Afinal, estamos falando da Espanha. A porção com três na casa sai por R$ 19,90, acompanhados por doce de leite, chocolate e um coulis de framboesa. Pra ser sincero, churros não tem como ser ruim. É simples. É gostoso. E não tem como errar a mão. O doce de leite é fabuloso, e poderia ficar dias e dias comendo ele.

O chocolate, aqui representado pela Nutella, faz a alegria de todo o pessoal fã do creme de avelã. Não é exatamente o meu caso, mas não pesou contrário. Isso ficou a cargo da fruta. Pode ser culpa da minha decisão de terminar com o recheio de framboesa, mas depois de variantes que pesam no açúcar, experimentar um azedinho tão forte deu um susto. Mas o desagradável foi encontrar o recheio em uma temperatura elevada. Pessoalmente não gosto de fruta quente, e infelizmente, é o que acontece aqui.

Mas entre mortos e feridos, certamente o restaurante é uma escolha correta pra quem procura um lugar romântico pra comer. Uma infinidade de entradas à disposição, além de uma grande variedade de pratos principais dão inúmeras possibilidades para o jantar, ou o almoço, de um casal. Se tivesse que escolher entre sim e não, certamente o Torero Valese é um dos lugares que gostaria de voltar logo, especialmente pelo pintxo de berinjela.

Dia dos namorados é sempre uma data muito esperada, claro que por aqueles que dividem o dia com os parceiros, mas eu nunca fui muito de comemorar essas datas. Acho que os lugares ficam muito cheios e tudo muito caro, e sorte que eu e o Rapha sempre concordamos em comemorar antes para não passar nenhum estresse. O dia dos namorados também é bem clichê e as pessoas acabam escolhendo os mesmo lugares, que acumulam horas de filas.

Se você, assim como eu, é contra fila e gosta de sair do clichê, está no lugar certo. Agora se vocês esperavam um post de foundue ou um terraço Itália, provavelmente vamos te decepcionar. Mas ao contrário do que muitos vão pensar, o Torero Valese tem um ambiente incrível para um casal e é super romântico, além de muito harmonioso. O restaurante que fica em uma parte não muito povoada do itaim, te oferece um ambiente clássico espanhol com um toque de romantimos.

Assim que entrei no salão, que não é muito grande, percebi que a decoração e perfeita para o jantar e para o almoço, é um restaurante bem flexível e vimos famílias também e não só casais apaixonadas, talvez isso seja o melhor, atende qualquer gosto e idade. O restaurante é bem tradicional espanhol e chama bastante atenção pelos pinxtos e tapas variados, por isso optamos por escolher alguns deles é abdicar do prato principal. Foi uma boa escolha porque tivemos bastante opções mas tenho certeza que os pratos também não decepcionam.

O cardápio é longo e são muitas opções boas, assim escolhemos 3 tapas e uma porção de pinxtos. A porção vem 6 unidades de 3 sabores diferentes, para quem não sabe o que é, basicamente uma bruschetta espanhola. Escolhemos então os sabores: rosbife com creme de queijo e caviar, tomate com jamon serrano e brie gratinado com tomate catalão e berinjela empanada. Todas as opção são realmente muito boas, mas nada é melhor do que de brie com berinjela, simplesmente sensacional, comeria só aquilo.

Já os outros pratos foram: croqueta de jamon serrano, haromaki de morcilla e chistorra. A croqueta talvez tenha sido a única que foi um pouco decepcionante, assumo que esperava mais jamon, mas também não é ruim. O huramaki de morcilla é algo totalmente inesperado e bom, a morcilla é a famosa linguiça de sangue e nesse caso combina perfeitamente com o crocante em sua volta. E por último, a chistorra que é um prato feito de linguiça, cebola caramelizada, batata e tomate confit, também muito bem feito e saboroso,mesmo sendo um prato simples.

Acho que o Torero Valese é um lugar ótimo para um jantar romântico e diferente ao mesmo tempo, a casa tem uma carta de vinhos longa e conta com outros drinks, como sangria, que são perfeitos para dividir com a pessoa amada.


Torero Valese – Avenida Horácio Lafer, 638 – Itaim Bibi; Contato: 3168-7917; Transporte: ônibus, táxi; Pagamento: débito, crédito; Faixa de preços: $$.
Anúncios

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s