Halim, no Paraíso

Por suas semelhanças e diferenças, a culinária árabe lembra em alguns pontos a japonesa. Um certamente é o equilíbrio de quem gosta, e quem prefere evitar esses tipos de prato. Como não poderia deixar de ser, nós adoramos, e sempre que possível fazemos uma visita. E quando a vontade por um kibe cru aumentou, nos restou visitar uma casa especializada. Aberta em 1973, a rotisseria e restaurante Halim é um dos pontos mais conhecidos da cidade por seu rodízio e pratos à la carte. Durante nossa visita preferimos escolher um ou outro prato, deixando o modo de comer o quanto puder para uma próxima oportunidade.

chapeu-galeria

160516-halim-01

Até algum tempo atrás eu não era o maior fã de comida árabe, preciso ser honesto. Minha familiaridade não ia muito além de uma porção de esfihas, até que eu conheci a Na, e as coisas começaram a mudar. Se antes não conseguia experimentar nada muito típico, hoje sou eu que peço pra visitarmos um restaurante árabe. E foi assim com o Halim.

Fizemos essa visita na semana passada, na hora do jantar. Estávamos os dois com fome, após um dia inteiro de trabalho. Nosso único filtro para vez era a necessidade de ser comida árabe. Fazia tempo que não comia um kibe cru, e dentre todas as opções espalhadas pela cidade, acabamos escolhendo o Halim pela fácil localização. Instalado desde a década de 70 no Paraíso, o restaurante tem aquele jeito antigo: salão grande, muitos garçons e comida farta.

Uma das escolhas do cardápio é o rodízio, que sai por R$ 68, e te dá direito a bastante coisa. Seria a opção óbvia, se estivesse com tanta fome. Não era o caso, então preferimos pedir um ou dois pratos. Começamos com uma porção de Kibe Cru (R$ 32) junto de uma de Coalhada Seca (R$ 26). Por algum motivo, particularmente gosto dessa combinação, ainda que não seja uma tradição.

A carne é gostosa, e dependendo da maneira que você tempera, pode ficar bem interessante. Pra que nunca teve a experiência, o prato chega sem tempero algum à mesa, e você é responsável pela quantidade de cebolinha, azeite ou hortelã. E somado à coalhada, o sabor fica ainda melhor. Tudo bem que a coalhada é bem forte, e levemente azeda, próprio pra quem está acostumado. Se for sua primeira vez, talvez outros restaurantes com uma coalhada menos azeda seja a pedida. Ainda assim, no Halim ela é, da sua maneira, muito boa.

Acabamos pedindo também uma outra porção, de Falafel (R$ 26). Servida em um prato com salada de tomate, salsinha, cebola e molho de gergelim, as bolinhas de fava e grão de bico chegam bem quentinhas à mesa, mostrando-se como uma escolha certa. Ainda mais misturada com a própria salada, ou então a coalhada seca.

Comida árabe que o tipo de comida que engana, você acha que está comendo pouco mas quando vê você já está morrendo de tanto comer. O Halim é um restaurante bem típico, espaço simples e sem muito glamour, mas quando você pega o cardápio entende que aquilo não muda nada e que você sabe exatamente o que vai comer. Mesmo com uma culinária conhecida, no final do cardápio tem fotos dos pratos para quem não conhece muito, achei isso super interessante.

O espaço é bem amplo e como eu disse não tem nenhum glamour, é perceptível que a casa tem alguns bons anos de vida, o espaço é bem rústico. Assim que cheguei sentei em uma mesa no meio do salão e esperei um pouco até o Rapha chegar, olhando o cardápio optamos por pegar pratos a lá carte, porque não estávamos com muita fome, mas o cardápio do rodízio é MUITO interessante e tem muitos pratos, por R$68, um preço que acho bem justo pelo que a casa oferece.

Os garçons são bens práticos, não chegam a ser grossos, mas eles vem pegam o pedido e vão embora rapidamente. Então fizemos o pedido, que era uma porção de kibe cru, meia porção de coalhada fresca, uma porção de falafel e uma esfiha de carne. A conta deu em torno de R$100 para o casal, apesar de um valor alto tudo que pedimos foi muito bem servido e ficamos extremamente satisfeitos. O cardápio da casa é bem extenso e são muitas opções que parecem interessantes e que eu pediria com toda certeza.

A esfiha é muito boa, pedi uma aberta de carne e mesmo não estando super fresca ela é muito boa, saborosa, um tamanho justo e o recheio não é seco. A porção de kibe cru foi o que mais de deixou chocada, era muito grande. De verdade, ele serve mais de três pessoal tranquilamente, mas como não pedimos muita coisa comemos nós dois, mas quase não aguentamos. A porção de falafel também se encaixa dessa descrição, ela também é muito bem servida, mas o melhor de tudo é que ela é muito saborosa. O prato vem com uma salada de tomate, salsinha e cebola, além do molho de gergilim e tudo é muito bom, mas infelizmente não consegui comer tudo porque é realmente bem servido.

Voltaria com certeza para experimentar o rodízio e segundo o site do restaurante tem um menu degustação, eu voltaria para provar também apesar de não ter visto no cardápio.


Halim – Rua Doutor Rafael de Barros, 56 – Paraíso; Contato: 3884-8502; Transporte: metrô, ônibus, táxi; Pagamento: débito, crédito, vr; Faixa de preços: $.
Anúncios

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s