A arte de atirar no próprio pé

coluna-fastfood-2015

Sabe quando você é pequeno e pede de Natal uma bicicleta, ou um cachorro? E chega na hora de abrir o presente e se encontra um par de meias, ou mais uma camisa pra sua coleção? Todo ano é assim, até que, de repente, aqueles aros brilhantes fazem o coração daquela criança bater mais rápido em frente a arvore de Natal. Esse é, mais ou menos, o sentimento que os fãs do brasileiríssimo Cheddar McMelt tiveram quando souberam da chegada das novidades Grand Cheddar McMelt e o Super Cheddar McMelt.

Tudo parecia perfeito, afinal, estamos falando – literalmente – da fome com a vontade de comer. Não teria como dar errado: a lanchonete não precisaria mover meio mundo pelos novos lanches, e todo o séquito correria rapidamente para seus balcões. E, pelo que dá pra ver nos últimos dias do McDonald’s, que essa receita deu meio que certo. Mas será? Sucesso é uma palavra interessante, e nem sempre o que é esperado se cumpre em todos os aspectos. Como?

Todo mundo que conheço foi atrás do tal cheddar duplo nos últimos dias, uma vez que é a novidade da temporada. E quais os comentários que ouvi? Alguns ‘muito bom’, mas também outros que compactuam da minha opinião: o pecado pelo excesso. Embora na teoria a receita do Grand Cheddar McMelt funcione perfeitamente, é um desastre completo quando chega à mesa. O queijo, que já era conhecido por ser um pouco enjoativo em sua versão mais antiga, transborda literalmente aos quatro cantos. E apenas esse detalhe põe tudo a perder. Eu experimentei o lanche. E não consegui passar da metade. E pra que fique claro, sou um super fã do Cheddar McMelt, um dos melhores lanches do McDonald’s. Mas esse super hiper mega grand cheddar? Não deu certo.

E o mais engraçado é que esses percalços não são exclusivos da turma do Ronald. Do outro lado da rua o Burger King também teve uma recente. Trazido finalmente ao mercado brasileiro, o Whopper de pão preto tinha tudo pra ser o case perfeito de halloween da empresa americana, mas, além do pão amargo demais e ingredientes que lembram qualquer outro sanduíche disponível, ainda temos aquele peculiar caso das consequências do Whopper Halloween. Não ficou sabendo? Sugiro dar uma procurada pela internet, mas já aviso, não é dos melhores temas.

Procurando ou não, os dois casos mostram que por mais que toda criança queira aquela bicicleta, ou aquele cachorro, quem realmente sabe se é o momento certo, ou se vai existir um momento certo pra ganhar o presente são os pais. Mais experientes, eles conseguem enxergar todo o cenário, e não dão o braço a torcer para os pequenos. E pelo que parece, não foi o que aconteceu nos dois casos. Muito choro, e no final dois tiros no pé.


Fast&Food é escrita por Raphael Diegues, editor do Comida pra Casal, que aborda novidades e dúvidas dos consumidores a respeito das redes de comida rápida espalhadas pela cidade.

Anúncios

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s