Maria Escaleira, em Pinheiros

Ao vencedor, as batatas. A frase de Machado de Assis em seu Quincas Borba é brasileiríssima, mas poderia ser facilmente polonesa. Conhecida por uma culinária pesada, a batata é um dos principais ingredientes da cozinha local, junto do queijo e da carne de porco. Se esse excesso de gordura, e de sabor, fazem seus olhos brilhar, boa nova pra você: hoje é dia de Maria Escaleira, restaurante típico do país localizado em Pinheiros que abre nosso novo especial, Sabores pelo Mundo. E pra quê? Você se pergunta.

Conhecida por ser a capital mundial da gastronomia, São Paulo oferece uma infinidade de cozinhas diferentes, de temperos diferentes, mas por vários motivos o que acaba aparecendo mesmo é aquela coisa de sempre: italiano, francês, japonês e hambúrguer. Só que as opções vão muito além disso, e estamos nós aqui pra mostrar algumas opções menos tradicionais. Então não perca os próximos quinze dias pra conhecer um pouco mais das cozinhas locais e descobrir umas comidas diferentes.

chapeu-galeria

O mais engraçado de estar em um restaurante polonês é reparar na calçada, com as pessoas passando e observando o cardápio cheio de palavras difíceis e dúvidas no ar. Afinal de contas, não é todo dia que você está atrás de um bliny, ou de um chlodnik. Mas o mais legal ainda é perceber que algumas dessas pessoas se arriscam, entram e tentam sair um pouco do lugar comum. Foi o que aconteceu com a gente. Culinária polonesa realmente não é o nosso forte. Conhecemos bem pouco, então tudo o que viesse seria lucro. E conhecimento.

Sem uma ajuda dos universitários, realmente é de se ficar perdido com o cardápio. Sorte que o atendimento do Maria Escaleira é de primeira, com o nosso garçom super simpático e ajudando nas mais dúvidas mais básicas, do tipo: o que é um Pierogi (R$ 36)? Acabei por descobrir que é um dos pratos mais tradicionais e consumidos por lá, e também um dos mais pedidos no restaurante. E do que é feito? Batata e queijo, claro. Pra quem não conhece nada, lembra bastante um ravióli cozido e temperado com cebolinha e azeite. O recheio? Vai do cliente, pedi o de salmão, mas existem opções como espinafre, cogumelos e carne seca.

E é bom? Já falamos muito sobre tudo, mas até agora não se leu um parecer do prato nesse blog. Vou te falar, é gostoso. Diferente do que estamos acostumados, uma vez que massa aqui no Brasil normalmente é acompanhada de molho e queijo ralado. E embora tenha um milhão de ingredientes pesados, os pasteizinhos são leves e não pesam tanto na barriga. Os temperos de fora são gostosos, e você vai querer passar cada um deles no azeite. No recheio interior, esperava um pouco mais de sabor. Tudo bem que a receita é feita de salmão, cream cheese e batata, nada que exale sabor. Ainda assim, podia ter um alho poró ou uma pimenta do reino pra dar aquele gostinho. Mas esse sou eu falando, de repente o prato original é assim mesmo, e eu que não entendi a proposta. De qualquer maneira, não é ruim, nem de longe.

Antes disso, acabei não mencionando, chegou o nosso Placki Ziemniaczane (R$ 20,50), que nada mais eram que bolinhos de batata servidos junto de um creme de queijo e alho. O bolinho de batata, levemente crocante, são fritas por fora e macias por dentro, e certamente te fazem considerar em pedir outra porção. O molho já apresenta alguns problemas. Ele é saboroso, uma vez que tem alho na composição. Mas poderia ser um pouco menos consistente, e com cara de cream cheese. Talvez um creme de leite pudesse deixar o molho com mais textura de molho.

E entre um prato e outro ainda consegui experimentar a comida da Na, o Żeberka w Miodzie (R$ 37). O nome pode parecer difícil de pronunciar, mas sabia apenas o necessário: é uma deliciosa costelinha de porco assadas no mel servidas com batatas. Gosta de Outback? Essa é uma versão melhorada.

Escolhemos fazer um especial com alguns países que têm pouca visibilidade na cidade, porquê acreditamos que eles tenham uma culinária interessante e poderiam apresentar ótimos sabores pra gente. Quando o Rapha falou que íamos em um restaurante polonês nem acreditei e fiquei super animada para descobrir o que eles comiam. Assim como boa parte do leste europeu, os poloneses têm uma cultura forte de bebidas fortes, por serem países muito gelados, a vodca está sempre presente.

Quando chegamos uma placa indicava que haveria jazz ao vivo, assim como nos sábados também, a partir das 20h30 e gostamos ainda mais de lá. O garçom que nos atendeu era de uma simpatia e atenciosidade fora do comum, ele nos explicou que a culinária polonesa girava em torno da batata, carne de porco e queijo, tudo por ter bastante gordura o que ajuda na redução do frio rigoroso que faz no país. Ele ajudou também na escolha dos pratos, não sabíamos o que era bom e qual eram os que mais saíam.
Para começar pedimos o Placki Ziemniczane, o nome é estranho sim, eu não faço ideia de como se fala, mas posso dizer que vocês não vão se arrepender. A entrada é uma porção de batata frita, mas não são as tradicionais e sim discos maiores e mais finos. Acompanhados de molho de queijo com alho, o molho é feito de cream chesse, então não era um molho daqueles bem soltos, e sim mais uma pasta de queijo, mas não acreditei que cream cheese com alho seria uma combinação tão perfeita. E melhor ainda quando você molhava a batata nesse molho incrível.

Percebemos que o garçom tinha mesmo boas opiniões, então como prato principal pedi o Pierogi, o prato é uma massa com duas opções de “molho” e o e cheio da escolha do cliente. Pedi então com o recheio de salmão com creme de batata, e estava ansiosa para o prato o grande problema foi que esqueci de pedir o molho então veio o mais tradicional que era o feito de dill e eu não gosto nem um pouco do gosto, isso foi uma grande decepção, apesar de ter esquecido de fala o garçom poderia ter me perguntado quais das duas opções eu iria querer. A conclusão desse prato foi que eu não gostei e como o Rapha foi bonzinho ele trocou de prato comigo.

O prato dele era mais comum, composto por uma costelinha de porco com molho de mel, que acompanhava batata baby e salada. A salada nem foi encostada, pois o prato era bem grande. Vinham dois pedaços bem servidos de carne de porco e muita batata. Conclusão? Tudo MUITO bem temperado e com um sabor incrível, acabei comendo ele e dividindo com o Rapha porque era realmente muito grande, e foi outra boa indicação do garçom. Depois de comer muito queríamos provar a vodca de batata, mas acabou não dando e vai ficar para a próxima. Apesar de um valor mais elevado dos pratos a experiência é ótima!


Maria Escaleira – Rua Mourato Coelho, 53 – Pinheiros; Contato: 2364-9913; Transporte: metrô, ônibus, táxi; Pagamento: débito, crédito, vr; Faixa de preços: $$.
Anúncios

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s