Zé do Hamburger, em Perdizes

Seja pela decoração, seja pelos sanduíches, todo mundo já ouviu, pelo menos, falar do Zé do Hamburger. Aberto originalmente em 2008, em uma casinha de Perdizes, hoje a lanchonete conta com uma filial enorme no mesmo bairro. Foi lá que fizemos uma visitinha rápida pra experimentar o que eles têm de melhor, e finalmente preparar a nossa crítica do local. Então se você gosta de sanduíches bem recheados, e um ambiente à la anos 1950, continue lendo, porque não vai se arrepender.

Acho que essa foi uma das visitas mais rápidas que fizemos de um lugar para o blog. Acredito que entre sentar-se à mesa e pagar a conta não passaram mais que 30 minutos. Estávamos com fome, mas estávamos também com pressa nesse dia, por isso nem entrada pedimos dessa vez. E sei que a batata deles é algo especial e bem conhecida, mas realmente não deu tempo. Por sorte focamos nos lanches, e fizemos escolhas certeiras. Aliás, a média deles é mais cara que o encontrado pelas lanchonetes da cidade, tudo em torno dos R$ 30. Você pode até montar o próprio sanduíche, com os ingredientes que preferir, mas o preço não foge muito da média.

E ainda que com o preço mais salgado, o cardápio dá água na boca de qualquer um. Extenso, ele consegue oferecer opções que vão além do básico, com combinações fora do padrão carne, queijo e bacon. Escolhi o Imperial (R$ 34,60), que parece simples na composição, mas apresenta um sabor surpreendente. Feito com um generoso hambúrguer de ancho e creme de provolone. Apenas isso. E o sanduíche é a prova de que não é necessário encher de nomes um sanduíche para que ele seja bom. Mesmo feita no sal grosso, a carne tem seu sabor, mas o sal propriamente dito fica esquecido. Por sorte o queijo, naturalmente salgado, balanceia o lanche, deixando seu sabor na medida certa.

Cada lanche é acompanhado por uma porção de fritas ou cebola frita. Acabei escolhendo a segunda, e que decepção. Essa talvez seja a palavra que melhor define. Fria, murcha e com cara de requentada, a dita cuja ficou quase por completo no prato, para minha frustração. Entendo que cada um tem um modo de preparo, mas comigo a cebola estava impossível de ser comida. A Na também não conseguiu, e ficamos os dois na porção de fritas que acompanhou o lanche dela. Mas o saldo da visita não foi negativo. Para minha surpresa, todos os sucos pedidos vêm em recipientes de 700 ml. Ou seja, pra quem gosta de beber junto da comida, isso é uma mão na roda. Até porque o valor é o mesmo de tantos outros lugares: R$ 8,90 por quase um litro de Abacaxi com Hortelã.

A respeito do ambiente e do atendimento, o primeiro destaca-se pela decoração alegre e retrô, com músicas antigas tocando pelo salão. Enquanto o segundo, embora solicito, é confuso, e acabam demorando em algumas oportunidades para servir uma mesa. Nada que vá mudar os ânimos dos visitantes, mas talvez mais algumas pessoas pra cuidar da demanda facilitasse o processo. Mas como disse, o saldo final é positivo, e o Zé do Hamburger se coloca como um daqueles lugares que todo mundo precisa visitar. Seja com a família, com os amigos, ou durante um encontro.

Muita gente conhece o Zé do Hamburger, e talvez sua maior virtude seja que eles não economizam. Às vezes até meio exagerado, como a Batata do Zé que é tanta batata que acaba tirando sua fome, então só vale pedir se tiver em grupo.

Fomos na unidade da Apicuru, e lá é grande, com dois andares e todo decorado de maneira retrô, assim como a outra unidade, também em Perdizes. Nós estávamos com um pouco de pressa no dia, então sentamos e pedimos. Eu sei que o garçom não sabia mas ele foi um pouco demorado na hora de trazer as coisas, mas não foi um atendimento ruim.

Pedi um lanche que chamava Rock’n’Roll (R$ 32,80) que vinha hambúrguer de fraldinha, cheddar e cebola frita. Acompanhava fritas e a maionese da casa. O lanche era bem gostoso, apesar do cheddar não ter muito gosto, mas também não era aquele cheddar laranja e gorduroso que você acha em alguns lugar. Mas o que realmente amamos no Zé é aquela maionese verde, que é com certeza a melhor. Ela é bem saborosa, e combina com tudo que vem no prato.

A batata também é muito boa, no estilo rústico e bem temperada. Acabei experimentando também as cebolas do Rapha o que foi a única decepção da casa, elas estavam despedaçadas e meio velhas. Não vá esperando gastar pouco, mas como disse no começo, eles não economizam, é muita coisa e você meio de sai rolando de tanta comida.


Zé do Hamburger – Rua Itapicuru, 419 – Perdizes; Contato: 11 3868-4884; Transporte: ônibus, táxi; Pagamento: crédito, débito, vr; Faixa de preços: $$.
Anúncios

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s