Mexicaníssimo, na Vila Olímpia

Comida mexicana é algo bem particular. Encontrar restaurantes que saibam o que estão fazendo não é simples, especialmente um que não cobre os olhos da cara por isso. E não adianta viver de nome, vide a nossa experiência negativa no Don Miguel. Em busca de um mexicano perfeito, visitamos nesse fim de semana o Mexicaníssimo, casa com duas unidades em São Paulo, a partir de uma oferta do Peixe Urbano. Preferimos o da Vila Olímpia, já conhecido, para experimentar o cardápio do rodízio deles. Se você quer conferir as opiniões do casal, e achamos que você deve, continua lendo a partir daqui.

Antes de falar do que funciona, e do que não funciona, é legal explicar um pouco sobre o local. Uma casa pequena em plena Vila Olímpia, um tanto apertada e cheia de adornos típicos, além de menções aos times de futebol do país, e claro, ao seriado Chaves. Quando você entra pela primeira vez ao salão, pode até se sentir transportado ao México, dada a semelhança do local com a cultura do país. Tanto que até nosso atendente era nativo da América do Norte, e não entendia tanto português.

E pra quem gosta de comer, o Mexicaníssimo trabalha com o bom e velho sistema de rodízio – além do à la carte, pra quem não está com fome. Por R$ 49,90 você tem direito a oito pratos, salvo o Molcajete, explicito no menu que é servido apenas uma vez.

Dito isso, podemos enumerar as coisas que se saíram bem durante nosso almoço. E o primeiro ponto precisa ir para o saboroso Taco sinaloense. Que coisa simples e gostosa. Os ingredientes falam entre si, e a carne estava bem temperada. A massa, por sua vez, não atrapalhava, com aspecto de fresca, diferente de alguns outros pratos. Semelhante era o Burrito, igualando os quesitos recheio e sabor. A carne desfiada é ótima, e te faz pensar em pedir um segundo, ou terceiro até.

No meio do campo ficam a Flauta e a Tostada. Os dois pratos são bons, mas não conseguem transmitir aquela mesma vontade de repetir exaustivamente. A primeira, como rege a culinária mexicana, deveria ser servida em uma massa firme e crocante, diferente do que foi visto no restaurante. O segundo, por sua vez, tem vários ingredientes, mas nenhum se destaca a ponto de ter uma boa lembrança. Mas estamos falando de um rodízio e um equilíbrio entre os pratos sempre acaba acontecendo.

Já entre os pontos que apresentaram falhas, a meu ver, estão tanto alguns pratos restantes, como também o próprio atendimento. Embora seja atencioso – mesmo com a dificuldade linguística –, dá pra sentir a inconsistência. Nos primeiros 20 minutos cinco pratos foram despejados na mesa, a ponto de não se encontrar local pra fazer a refeição. Após esse combo inicial, foram outros bons 20 minutos aguardando alguém aparecer pra fazer mais pedidos. Sobre os pontos negativos da comida: os Nachos são dispensáveis. Têm cara de velho, além de duro. Os frijoles que acompanham o prato tem sabor apenas de tutu mineiro. Se você gosta, pode ser uma boa, mas se espera por um sabor mais latino, pode se decepcionar.

Mas não tem como falar em se decepcionar sem mencionar o ponto mais crucial da casa: estavam sem Guacamole. Acontece nas melhores famílias, mas estamos falando de um dos temperos mais comuns e tradicionais da culinária mexicana. Simplesmente deixar acabar é muita displicência com o cliente, ainda mais quando o atendente precisa dar aquele sorriso sem graça, explicando que está em falta. A Quesadilla, o Taco al pastor e o tal Molcajete estavam lá. Insossos, mas ao menos estavam, diferente do creme de abacate. E como última dica, não vá esperando por pratos que primem pela apresentação. Certamente chegaram pratos um tanto quanto desleixados, mas ainda assim, tem coisa boa que pode ser aproveitada.

Quando vimos o Mexicaníssimo no Peixe Urbano não pensamos duas vezes para comprar. O Rapha já havia ido ao restaurante algumas vezes e tinha recomendado pra mim. Por isso resolvemos fazer uma visita, e contar se lá vale, ou não, a pena. São duas unidades, uma na Vila Olímpia e outra no Brooklin, e acabamos indo na primeira. A casa é pequena, e por ser um final de semana não tinha fila, mas acredito que durante a semana a concorrência fique maior.

Lá é tudo muito bem decorado, eu adorei as camisas do times de futebol do México, além de uma música no estilo local. Tínhamos feito reserva, mas quando chegamos ninguém veio nos atender, sentamos em uma mesa e esperamos o garçom, depois de uns 10 minutos no aguardo ele deu o ar da graça. Ele não falava português direito, e a cada coisa que pedíamos tinha a impressão de que ele não tava entendo nada, falamos que iríamos de rodízio e ele deixou um cardápio com as opções do à la carte.

Eram oito pratos diferentes e todos bem tradicionais, o que me agradou bastante. Assim que ele trouxe os nachos e só veio o chilli estranhamos, pois normalmente o sour cream e a guacamole também acompanham o prato. Mas para nosso espanto, ele falou que não tinha o creme de abacate, como se fosse algo normal. Exatamente, que restaurante mexicano não tem guacamole??? Aquilo me deixou muito decepcionada, tirando que os nachos eram doritos. Já fiquei receosa com os outros pratos que viriam.

Logo na sequência ele trouxe o molcajete, a flauta e a tostada. O primeiro é o carro-chefe da casa, preparado na pedra vulcânica, e servido uma única vez. É bem saboroso, feito com frango, cebola, pimentão, queijo e um pão para você mesmo montar, só ficaria ainda melhor se tivesse menos pimentão. Os pratos que mais me chamaram a atenção foram o tacos sinaloense e o burritos, os dois pratos são muito bons, bem temperado e quentinhos.

Já as decepções ficaram por conta da quesadilla de queijo e os tacos al pastor. Os dois são sem sabor algum, e me deixaram bem decepcionada, assim como fiquei quando o garçom falou que não tinha guacamole. Na verdade, o Mexicaníssimo vale a pena quando você compra por algum clube de desconto, caso contrário, acho que o preço fica bem acima do que é servido. Mas eu voltaria e indicaria, assim como estou fazendo. Acho que pela qualidade do mexicanos que temos em São Paulo, ele fica em uma categoria boa.


Mexicaníssimo – Rua Ribeirão Claro, 192 – Vila Olímpia; Contato: 11 3045-1512; Transporte: ônibus, táxi; Pagamento: crédito, débito, vr; Faixa de preços: $$.
Anúncios

2 comentários sobre “Mexicaníssimo, na Vila Olímpia

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s