O que pode pintar por aqui em 2015? – Parte 2

barra-fastandfood-02

Essa brincadeira de especular sobre o mercado de fast-food é divertida. Poucos dias depois que fiz aquele exercício a respeito de quais redes poderiam chegar ao Brasil neste ano, já foi anunciada uma novidade interessante. Por isso, por que não continuar com a brincadeira, e continuar chutando – claro, de acordo com análises publicadas em grandes veículos de comunicação – e tentar acertar mais alguns? Até porque foi difícil selecionar apenas três restaurantes para escrever sobre na primeira parte. Pensei em fazer algo com mais nomes, mas quando vi o tamanho do texto, decidi que era hora de parar. Ainda bem que tudo conspira a favor, e hoje trago a segunda parte com outros três redes. Dá uma olhada.

Como eu disse, alguns dias depois que a primeira parte da coluna foi ao ar surgiu a notícia de que a Bloomin’ Brands, empresa responsável pelo Outback, começaria a internacionalizar outra marca deles, a Carrabba’s. E quando você pensa em expandir seu território, nada mais justo que buscar países onde as coisas parecem mais dar certo. E ai eu pergunto: sabe qual o restaurante de comida australiana que mais faz sucesso, e mais vende no mundo? Se você pensou na loja do Center Norte, aqui em São Paulo, acertou. Por isso, é claro que eles vão trazer a outra marca pro Brasil!

E o que seria Carrabba’s, cara-pálida? Em suma, um Outback italiano. Ao invés da famosa cebola, ou a costela que todo mundo gosta, pizzas e massas, além de carnes e coisas típicas do país da bota. Fundada em 1986 nos Estados Unidos, o nome faz referência ao criador do restaurante, Johnny Carrabba. Legal pra quem sabe quem ele é, como não é o caso do resto do mundo, salvo os Estados Unidos, a empresa por trás deles já vai fazer o primeiro movimento, bem acertado: reposicionar a marca. Sai Carrabba’s, entra Abbraccio. Muito mais blasé, a palavra quer dizer abraço em italiano, e deve causar mais impacto nos novos mercados. A primeira loja está programada pra ser aberta no Shopping Vila Olímpia, e depois outra no Market Place. O problema é que ninguém sabe quando. Como estamos em janeiro ainda, tem chão pela frente.

Mas as novidades não devem parar por aí. Lembra do Dunkin’ Donuts? Aquele quiosque que vendia rosquinhas, e claro, donuts? Esse tem tudo pra ser o ano da volta deles ao Brasil. A rede já tentou uma vez o sucesso em terras brasileiras, mas não foi pra frente. Tudo bem que quando eles chegaram, no início da década de 1980, o mundo era outro, o Brasil era outro, e as preocupações eram outras. Ninguém ainda se importava muito com esse frenesi de doces da moda (vide os cupcakes, cookies, brigadeiros, frozen iogurtes e agora as paletas mexicanas), e convenhamos, era caro cobrar tanto por um doce pequeno. Aliás, na minha humilde opinião, o maior erro foi tentar empurrar um produto por um valor alto, que ninguém conhecia e nem dava uma chance.

Hoje tudo está diferente. A gastronomia tem uma importância muito maior na sociedade brasileira, e o próprio Dunkin’ Donuts deu uma turbinada em seu modelo. Ao invés de apenas os doces redondos, hoje as lojas partem muito mais pra um conceito de cafeteria. À la Starbucks. O que sabemos sobre a possível volta deles ao Brasil, até agora, foi uma entrevista de um dos executivos da marca quase dois anos atrás, que dizia ter planos de abrir novas lojas concentradas em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Posso estar enganado, mas acho que não abriu nenhuma até agora, ao menos aqui na capital paulista. Se alguém das outras cidades puder confirmar, agradecemos.

Outro nome que pode surgir – de novo – por aqui em 2015 é o TGI Friday’s. Eles tentaram a sorte uma vez na década passada, e mostravam-se certos pra ter sucesso. Mas parece que quem comandava a marca no Brasil não tinha muito tino pro ramo alimentício, e ai o bolo desandou. Sabe aquele Outback ao lado do Shopping Ibirapuera? Então, antes de ser Outback, ali era um TGI Friday’s. Aliás, eles foram responsáveis por abrir caminho desses casual dinners que temos hoje, como os próprios americanos/australianos, os americanos do Applebee’s e os americanos/asiáticos do P.F. Chang’s.

O certo é que corre o boato da vontade em retornar ao mercado brasileiro. Parece que já existem conversas pelos corredores com possíveis interessados, então não é difícil prever a abertura de uma nova loja logo mais. Até por que, com o explosivo sucesso do Outback por aqui, todos esses restaurantes querem tentar a sorte no estômago do brasileiro.


Fast&Food é uma coluna quinzenal, escrita por Raphael Diegues, editor do Comida pra Casal, que aborda novidades e dúvidas dos consumidores a respeito das redes de comida rápida espalhadas pela cidade.

Anúncios

2 comentários sobre “O que pode pintar por aqui em 2015? – Parte 2

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s