O que pode pintar por aqui em 2015?

barra-fastandfood-02

Como quem não quer nada, já passaram dez dias desse ano novo. Já percebeu? E os próximos meses prometem, pelo menos pra quem gosta de um bom e velho fast-food. Muitas redes estrangeiras já ensaiavam uma chegada – ou em alguns casos, um retorno – em 2014, mas como muito não aconteceu, podemos esperar pelo menos alguns nomes novos na concorrência. Quer dizer que eu estou afirmando que vai acontecer? Não, quem sou eu pra ter esse poder de previsão. Tudo não passa da uma análise de mercado, de tudo que se fala pelos quatro cantos sobre o assunto.

E de todos os nomes que já li pelas revistas de economia afora, o que mais me apeteceu, e conta com a minha torcida, é o retorno do Arby’s. Não sei se você vai se lembrar, mas eles já estiveram no Brasil durante o fim do século passado – vulgo, anos 1990 –, e a história não deu muito certo. Lembro de uma das unidades na Bandeirantes, onde hoje tem um Bob’s. Sabe? Pois bem. O fracasso naquela época se deu, pelo que dizem os profissionais da área, ao momento que o mercado brasileiro vivia. Em suma, o timing não era o certo, por isso a ideia de implementar uma nova rede, apesar de ter sido bem articulada, fracassou.

Mas eu disse muita coisa, só não o motivo da minha torcida. Apenas pra contextualizar, Arby’s é uma rede norte-americana criada em 1964 que se diferencia pelo ingrediente principal de seus sanduíches. Ao invés dos hambúrgueres de carnes, frango e peixe, entram em cena as suculentas fatias de rosbife. E sabe o que é o pior? Quando a rede estava no Brasil, lá atrás, eu não gostava de rosbife.

E por qual motivo eles devem voltar ao Brasil? Não tem como negar, vivemos um outro momento hoje em dia. Embora economicamente o cenário não seja o ideal, a sociedade já está mais aberta e adaptada a diferentes sabores, e toda a onda gourmet demonstra isso. Além disso, o pessoal tem mais dinheiro pra gastar com comida, diferente daquela realidade instável. E por fim, a rede de rosbife não enxerga nenhum concorrente direto aqui. Ou seja, é apenas questão de tempo e um bom acordo comercial para o Arby’s esteja de volta, oficialmente, ao Brasil.

Outro nome forte que pode pintar por aqui é o do Wendy’s. Entretanto, a curta história do restaurante em terras brasileiras, por ora, não parece ter um final. Ainda lá na década de 1990, mesma do Arby’s, eles tentaram chegar ao Brasil, fato que não foi consolidado. Por diversos motivos, o projeto não andou e a ideia não saiu do papel. E vendo os resultados alheios, talvez tenha sido uma boa. O problema é que alguns anos atrás, mais especificadamente em 2009, a empresa por trás do Wendy’s começou um plano de internacionalização da marca, e hoje já está disponível em 24 países. Menos no Brasil. Eles até tentaram quando o plano de dominação mundial começou, mas, pelo que você pode ver, parece – de novo – não ter dado muito certo.

E qual a chance de dar certo? Ninguém sabe. Parece depender de alguém pra investir no nome, como fizeram com o Burger King e o Carl Jr’s. Ao menos do lado da empresa deve existir a vontade. Afinal, existem lojas na Argentina, no México, na Venezuela, e uma porção de outros países da América Latina. Então vir para o Brasil seria um movimento natural, não? Tanto que eles tentaram duas vezes já.

Com cerca de 850 lojas espalhadas entre Estados Unidos e Porto Rico, a Firehouse Subs é outra rede que tem chance de pintar por aqui em 2015. Especializada em sanduíches, bem ao estilo do Subway, a empresa tem o engenhoso plano de expansão ao redor do mundo. Segundo as próprias previsões, até 2020 são esperadas duas mil lojas abertas pelos quatro cantos do mundo. Se vão conseguir? Ninguém sabe, tomara que sim.

E por qual razão eles deveriam apostar no Brasil? Veja bem. Quantos Subways você conhece por ai? Hoje é a rede que mais tem restaurantes no mundo, acima do McDonald’s até, e no Brasil não é muito diferente. Praticamente a cada 500 metros dá pra encontrar uma franquia, seja dentro do metrô, de um shopping popular ou no meio da rua. Desta maneira, não é difícil imaginar um concorrente que trabalha com produto semelhante tentando a sorte em um país que – novamente -, mesmo não sendo um paraíso econômico, pode ser melhor que muitos lugares. Ou eles vão abrir na Grécia?


Fast&Food é uma coluna quinzenal, escrita por Raphael Diegues, editor do Comida pra Casal, que aborda novidades e dúvidas dos consumidores a respeito das redes de comida rápida espalhadas pela cidade.

Anúncios

Um comentário sobre “O que pode pintar por aqui em 2015?

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s