Nodawa, no Ipiranga

141218-nodawa-01

Sempre é bom quando conseguimos deixar os bairros mais movimentados e partir rumo ao desconhecido. Neste ano já conseguimos desbravar algumas maravilhas no Ipiranga, e hoje temos mais um exemplo do que o bairro tem a oferecer. Para o ano que vem vamos buscar lugares ainda mais diferentes e pouco visitados, como as Zonas Norte e Leste. Mas enquanto isso não chega, vamos focar no Nodawa, restaurante japonês que fica bem no final da Jafet, quase ao lado do Museu.

barra-post-galeriafotos

barra-post-ela

Eu e o Rapha somos fortes apreciadores de locais onde tem descontos, ou promoções e por isso sempre procuramos alguma lugar legal no Grubster. Acho que o aplicativo é um dos mais úteis que tenho no meu celular, sempre eficiente e sempre uma boa surpresa quando vamos em algum restaurante novo. Então mais uma vez fomos visitar uma restaurante que encontramos no app, dessa vez o Nodawa, que fica pertinho do museu do Ipiranga.

O local do restaurante não é dos mais favoráveis porque não tem onde parar o carro, os lugares na rua ficam sempre cheios e você acaba tendo que para o carro em um lugar longe e ruim, talvez o pior defeito do restaurante. Logo que você chega lá, você percebe que o ambiente foi reformado faz pouco tempo e por dentro o ambiente é acolhedor, no dia que fomos está bem vazio e tinham apenas outras duas mesas ocupadas por casais. Sentamos e logo veio uma garçonete com o cardápio e explicado como eram os rodízios, que são três opções. Escolhemos o rodízio que incluíam camarão nos pratos, como temaki, entradas e no combinado, a diferença de um rodízio era de 10 reais que era R$ 59,90 (sem o desconto).

Então começamos a pedir os pratos e ai veio uma decepção, eles não tinha Harumaki de queijo, mas preferi acreditar que talvez eles compensassem em outra coisa. O diferencial da entrada foi o bolinho de atum frito, que estava uma delícia e o carpaccio, que era parte de salmão e parte de peixe branco e estava muito bem temperado e saboroso. A guioza também merece um destaque, ela era super crocante! Já o harumaki não era nada que me faça voltar, assim como o salmão grelhado que passou um pouco do ponto além de ter ficado com gosto do outro peixe. O tempura tinha uma massa diferente, ela era um pouco mais pesada e densa, mas era muito bom apesar de massudo.

Depois das entradinhas vieram os Temakis, eu e o Rapha pedimos o temaki com camarão empanado e salmão cru. E aí eu posso dizer que talvez nenhum rodízio faça temakis tão caprichados como lá. Ele tinha um padrão normal e era incrivelmente saboroso, totalmente o oposto do que acontece na maioria das vezes, o camarão era muito bom e casava perfeitamente com a alga crocante e o salmão cru. O ponto alto do ródízio, junto com a porção de camarão empanado que eles mandaram.

Então veio o combinado, que era bem grande para uma mesa de três pessoas que já tinha comido muito, mas até ai acho que não é um erro. Talvez apenas um prejuízo para o restaurante, o combinado veio com uma dupla de cada sushi, praticamente. Com exceção dos sashimis e dos hot holls. Gostei da variedade, mas não encontrei naquele combinado algo bom, todos os sushis rondavam o mais ou menos, o Hot Roll era crocante mas estranho, não sei ao certo explicar. O melhor sushi era o que tinha camarão empadado envolvido de sashimi de salmão, mas nada de muito bom também e acabamos não comendo todo o combinado.

Para fechar o garçom veio nos oferecer sobremesas, e nos surpreendemos com as opções. Acho que pedimos mais para não perder a oportunidade, então optamos pela banana a milanesa com cobertura de chocolate. Não sei se realmente não estava muito bom ou se eu estava realmente satisfeita e não gostei. O resumo da opera talvez seja no que a minha mãe falou na hora ” Da próxima vez a gente come só o temaki”. Realmente vale muito a pena conhecer o lugar pelo temaki e talvez se lá fosse uma temakeria faria até mais sucesso.

barra-post-ele

Não fazíamos ideia da existência do restaurante, até dar uma procurada rápida no sempre salvador Grubster. Julgamos o livro pela capa, vimos que a foto era bonitinha e decidimos apostar as fichas na casa. O resultado? Eles sabem fazer muito bem a parte quente, mas pecam um pouco no cardápio frio. Só que considerando o preço do rodízio, de apenas R$ 59,90, o resultado é bem positivo. O atendimento é bastante próximo, com os garçons sempre perguntando se faltava algo, se estávamos gostando do que era servido, e dando até opiniões pessoas sobre o cardápio. Acredito que esse grau de proximidade seja reflexo do salão vazio, considerando uma sexta-feira à noite. O local de difícil acesso colabora para a baixa procura, assim como a dificuldade em encontrar lugares para estacionar. Como fica bem na Avenida Ricardo Jafet, são poucas as opções de vagas.

Sorte que conseguimos encontrar um bom lugar e logo já iniciamos o rito alimentício. De entrada nos servem um Bolinho Frito de Atum, algo bem particular e de grande sabor. Precisei pedir para repetir a dose, tamanho paladar agradável. Um pouco quente, mas isso fez parte da realidade de boa parte dos pratos. E aqui, não atrapalhou. Diferente da porção de Guioza, que embora fosse saborosa também, a temperatura atrapalhou. Muito quente, a ponto de ter dificuldade no manejo.

A respeito dos Harumakis, senti inicialmente certo descontentamento, afinal, apenas a versão de legumes estava disponível. Mas experimentando o primeiro me vi contrariado. Bem temperados, os legumes estavam perfeitos, e a temperatura não ficou acima da média, como em outras porções. Ainda assim, dois outros pratos ficam à frente: o Teppanyaki de Anchova, mesmo com uma parte queimada demais, partindo pro lado do amargo, foi bem positivo. O peixe é suculento e bem preparado, me fazendo ter vontade de comer mais.

Mas o campeão foi, sem dúvida, a divina porção de Camarão Empanado. Fresca, salgadinha, saborosa e crocante, a porção se diferencia muito das servidas em rodízios japoneses. Sem aquele aspecto de coisa velha, fui obrigado a devorar quase sozinho o prato inteiro. Infelizmente, nem tudo são flores. No quesito gelado o restaurante deixa a desejar. Os sashimis não são gostosos. O peixe branco é borrachento demais; os sushis são desbalanceados e o Hot Roll, com muito pesar, é horrível. De qualquer maneira, mesmo com essas características não tão positivas, a primeira quente compensa.

141218-nodawa-servico

Anúncios

Um comentário sobre “Nodawa, no Ipiranga

Gostou? Deixa aqui sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s